Produzir sua própria semente em sua própria terra: qualidade de fruto da progênie F2 do híbrido BRS Nagai

Título

Produzir sua própria semente em sua própria terra: qualidade de fruto da progênie F2 do híbrido BRS Nagai

Autor

Cardoso, Flávia de Oliveira

Colaborador

Barrantes, Maria Dalva Trivellato
Fernandes, Nayra Nascimento Bomfim

Descrição

O cultivo e reprodução de cultivares pelos próprios agricultores é uma prática benéfica para a manutenção de variedades crioulas, mas não é adequada para variedades comerciais, especialmente as híbridas. O tomateiro BRS NAGAI é uma cultivar híbrida bem difundido entre pequenos agricultores, onde a reprodução do próprio cultivo é prática comum. Este trabalho teve o objetivo de caracterizar frutos da progênie (filhos) da cultivar híbrida BRS NAGAI quanto à massa, formato e teor de sólidos solúveis a fim de demonstrar a viabilidade de produção da progênie. Cada fruto foi pesado e medido em seu comprimento e diâmetro equatorial para determinar o índice formato. O caldo e o extrato de frutos completamente maduros e firmes foram extraídos para avaliação do teor de sólidos solúveis. Avaliou-se 204 frutos de 18 plantas, cultivadas sob manejo agroecológico orgânico. Houve grande variação na massa, formato e teor de sólidos solúveis nas plantas. Ocorreram plantas com média de massa de frutos baixa, 76,63g, e plantas com média de massa de frutos alta, 236,57g. Dentro da mesma planta ocorreram frutos com massa muito diferentes chegando a diferenças de até 188g. Em média, os frutos da progênie possuíam massa média de 82-149g, enquanto o esperado para o cultivar mãe BRS NAGAI era de 180-200g por fruto. Os frutos apresentaram formato variado, de alongado tipo italiano a mais esférico tipo saladete, sendo a maioria alongado do tipo italiano, enquanto o esperado para o BRS NAGAI era o tipo saladete. Os frutos apresentaram média de teor de sólidos solúveis inferior ao esperado para o cultivar mãe, 3,6° Brix, comparado à 4,7° Brix para o BRS NAGAI. Essas características demonstram que os frutos da progênie do híbrido são altamente desuniformes e de qualidade inferior ao do cultivar BRS NAGAI. Desta forma, demonstra-se ser inviável o uso de sementes da progênie para produção dessa cultivar e ainda, evidencia que o conhecimento da origem da cultivar plantada pelos agricultores é uma informação essencial para a garantia da qualidade e da produção.

Assunto

Desuniformidade fenotípica
Qualidade de fruto

Data

2017

Editor

IFB Campus Planaltina

Direitos

A obra está regida pela licença pública Creative Commons. A obra continua protegida pela Lei de Direitos Autorais no 9.610, de 19 de fevereiro de 1998, sendo proibido qualquer uso da obra que não o autorizado sob esta licença ou pela legislação.

Idioma

PT

Tipo

TCC

Formato

28 p.

Fonte

043020DLJ

Identificador

Referência

Cardoso, Flávia de Oliveira, “Produzir sua própria semente em sua própria terra: qualidade de fruto da progênie F2 do híbrido BRS Nagai,” Biblioteca Digital de Trabalhos de Conclusão de Curso, acesso em 8 de fevereiro de 2023, https://bdtcpla.omeka.net/items/show/70.